Horário de atendimento: de Segunda a Sexta, das 8:00h as 18:00h
Leia nossos

ARTIGOS

Saiba mais sobre o Câncer de Pulmão

Por : em : 29 de agosto de 2019 comentários : (0)

Agosto é o mês de conscientização sobre câncer de pulmão no Brasil. O câncer de pulmão é um dos mais comuns tipos de tumores malignos. Apesar de comum, é considerada uma das principais causas de mortes evitáveis, pois em torno de 85% dos casos diagnosticados têm relação com o consumo de derivados do tabaco. Neste texto, falaremos dos riscos, prevenção, diagnóstico, sintomas e tratamento do câncer pulmonar.

Números do câncer de pulmão

De acordo com o INCA, o câncer de pulmão é o segundo mais comum em homens no Brasil (sem contar o câncer de pele não melanoma). Cerca de 13% dos tumores malignos diagnosticados no planeta aparecem na região dos pulmões, afetando desde a traqueia até a periferia do pulmão. A estimativa de novos casos em 2018 foi de mais de 32 milhões, sendo cerca de 60% em indivíduos do sexo masculino. No Brasil, esse câncer é o 2º mais incidente nos homens e o 4º mais incidente nas mulheres.

 

Principais fatores de risco

O tabagismo e a exposição passiva ao tabaco são as principais causas de câncer de pulmão. Os derivados do tabaco originam cerca de 85% dos casos diagnosticados. Comparados aos não fumantes, os tabagistas têm cerca de 20 a 30 vezes mais risco de desenvolver a doença. Entre os derivados do tabaco, o cigarro é, de longe, o mais importante fator de risco para o desenvolvimento do câncer de pulmão. Porém, outros derivados também são utilizados, como cachimbos, charutos ou narguilé.

Existem ainda outros fatores de risco para o desenvolvimento da doença. A exposição à poluição do ar, doença pulmonar obstrutiva crônica (enfisema pulmonar e bronquite crônica), fatores genéticos e história familiar de câncer de pulmão favorecem ao desenvolvimento desse tipo de câncer. Outro fator que chama a atenção é a idade: a maior parte dos casos afeta pessoas entre 50 e 70 anos.

Cigarro

Prevenção do câncer de pulmão

A principal medida para prevenir o câncer de pulmão é não fumar. Quem é fumante, quanto antes conseguir se livrar desse vício, diminui os prejuízos para a saúde pulmonar. A mortalidade por câncer de pulmão entre fumantes é cerca de 15 vezes maior do que entre pessoas que nunca fumaram, enquanto entre ex-fumantes é cerca de quatro vezes maior.

Por outro lado, mesmo que não é fumante precisa tomar cuidado. As pessoas que inalam o fumo passivo – os chamados fumantes passivos – estão expostas aos mesmos agentes causadores de câncer. Há ainda a indicação de que se reduza a exposição a alguns tipos de agentes químicos, como amianto, arsênico, asbesto, berílio, cromo, radônio, urânio, níquel, cádmio, cloreto de vinila e éter de clorometil. Essas substâncias são extremamente prejudiciais e não existem níveis seguros para o seu contato. Trabalhadores expostos a esses produtos devem sempre utilizar medidas de segurança para evitar o contato, diminuindo assim os riscos.

 

Como é feito o diagnóstico

Assim como em outros tipos de tumores, o diagnóstico precoce é de fundamental importância para a eficácia do tratamento. No entanto, esta é uma tarefa difícil, já que a doença somente começa apresentar sintomas quando já está em fase avançada. Por isso, somente 20% dos casos são diagnosticados precocemente.

A detecção pode ser feita por meio da investigação com exames clínicos, laboratoriais ou radiológicos, de pessoas com sinais e sintomas sugestivos da doença. Não há evidência científica de que o rastreamento do câncer de pulmão na população geral seja benéfico, por isso é recomendado apenas em alguns casos, devendo esta decisão ser tomada entre o médico e o paciente.

Outra dificuldade do diagnóstico é que não existem sinais específicos do câncer de pulmão, já que os sintomas são os mesmos que de outras doenças respiratórias relacionadas ao fumo, como enfisema pulmonar, bronquite e pneumonia.

 

Sintomas do câncer de pulmão

Os sintomas mais frequentes no câncer pulmonar geralmente não ocorrem até que o câncer esteja avançado. No entanto, algumas pessoas com câncer de pulmão em estágio inicial apresentam sintomas. Por isso, se o paciente for ao médico quando perceber algum desses sintomas pela primeira vez e estiver com câncer de pulmão, a doença pode ser diagnosticada em estágio inicial, quando é mais provável que o tratamento seja efetivo. Os sintomas mais comuns são:

  • Tosse persistente
  • Escarro com sangue
  • Dor no peito
  • Rouquidão
  • Piora da falta de ar
  • Perda de peso e de apetite
  • Pneumonia recorrente ou bronquite
  • Sentir-se cansado ou fraco
  • Nos fumantes, o ritmo habitual da tosse é alterado e aparecem crises em horários incomuns.

Vale lembrar que alguns sintomas deste tipo de câncer são comuns a outras infecções pulmonares. Além disso, muitos fumantes apresentam esses sintomas como consequência da bronquite crônica ou do enfisema pulmonar. Por isso, para um diagnóstico preciso, procure um médico.

Tratamentos disponíveis

De acordo com a oncologista da Viver, Dra. Yeni Veronica Neron, é fundamental que o câncer pulmonar seja tratado por uma equipe multidisciplinar. Essa equipe é formada por diferentes profissionais: cirurgião, patologista, radiologista, oncologista, radioterapeuta e outros profissionais, a serem acionados dependendo do histórico do paciente e do tipo de câncer de pulmão.

O tipo de tratamento vai depender da avaliação dessa equipe multidisciplinar, que planeja em conjunto a melhor maneira de tratar as células tumorais. Alguns cânceres podem ser tratados apenas através de procedimento cirúrgico. Outros, além da cirurgia, precisam de tratamento através de quimioterapia, radioterapia, imunoterapia e/ou terapia alvo-molecular.

REFERÊNCIAS:
INCA (Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva). Câncer de pulmão. Julho, 2019.
Instituto lado a Lado pela Vida. Câncer de Pulmão.
Viver Clínica Médica; Dra. Yeni Veronica Neron. Vídeo: Tratamento para o Câncer de Pulmão. Janeiro, 2019.

Deixe uma resposta